Páginas

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Infestação de ratos e pombos preocupa andreenses



fonte:
Julia Alves
Especial para o Diário Online
Julia Alves/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra
Atualizado às 15:00
Os moradores da Rua Estela, no bairro Vila Alpina, em Santo André, estão aterrorizados com uma infestação de ratos e pombos. Eles reclamam de um vizinho que tem criado as aves durante os últimos anos, atraindo os ratos para a vizinhança. O foco de saída dos roedores é a partir de um bueiro aberto na frente da residência do morador, que deixa alimentos à disposição de ambos os animais.

Segundo os moradores, nenhum órgão público da cidade tomou providências para resolver a situação. A comerciante Cecília Yamashiro, 59 anos, conta que o problema persiste há 20 anos. “Já realizei diversas denúncias sobre esse vizinho. Ele atrai os pombos para uma árvore que fica na calçada, os ratos saem de um cano no mesmo local. Infelizmente, moro ao lado e os animais invadem meu lar.”

Cecília também afirma que, durante as poucas vezes que a Prefeitura atendeu os pedidos para fiscalizar o local, os funcionários desistiram de resolver o problema e foram embora após serem recebidos a gritos. “Disseram que não poderiam fazer nada sem a permissão do morador, já que a árvore e o bueiro ficam na frente de sua casa. Um dos funcionários disse que cortaria apenas parte da árvore que estava invadindo a minha residência se eu lhe pagasse R$ 100.”

Com a grande quantidade de animais transmissores de doenças circulando pela vizinhança, a mulher teme que a situação agrave os problemas de saúde de seu marido, Seiithi Yamashiro, 59. “Já encontrei ratos comendo pombos mortos no meu telhado. Uma vez passei dias tentando matar uma ratazana que entrou na minha casa. Não deixo nenhuma sujeira ou comida exposta, mas eles entram mesmo assim.”

Os moradores da rua afirmam terem tentado conversar com o vizinho por diversas vezes, mas ele segue irredutível. “Esse homem grita e ofende qualquer pessoa que se aproxime da sua casa. A Prefeitura deu o prazo de um mês para resolver o problema, mas é muito tempo. Cada vez aparecem mais ratos”, conta a confeiteira Patrícia Lopez, 42.

O comerciante Jorge Bitencourt, 59, disse encontrar cerca de oito ratos por semana em sua residência. “Eu coloco armadilhas e venenos, porém os ratos continuam surgindo. Uma vez coloquei veneno nos canos, mas esse vizinho os retirou e jogou fora. Espero que a nova Administração tome alguma atitude”, finaliza.

A reportagem foi até o local e conversou com o morador, que não quis se identificar, mas disse que não irá tomar nenhuma providência. “Esse é o trabalho da Prefeitura (de Santo André). Já vieram aqui diversas vezes, mas foram embora pois não encontraram o rato”, afirma ele.

Em nota, a Prefeitura informou que possui diversas ordens de serviço em regime de urgência, inclusive inúmeras não atendidas em 2016, por isso a equipe está aos poucos normalizando a fila de demandas. Para essa região foi encontrado no sistema apenas uma solicitação recente e já está na programação do Departamento de Vigilância à Saúde atendê-la. Na tarde desta terça-feira, a Prefeitura esteve no local e realizou a desratização.