Páginas

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

SHOPPEST cuide você mesmo das pragas de sua casa: COMO MATAR UMA BARATA

SHOPPEST cuide você mesmo das pragas de sua casa: COMO MATAR UMA BARATA: Como matar uma barata. Paece simples, mas nao é. As baratas despertam nas pessoas sensaçoes de repulsa que muitas vezes dificultam a aça...

Qual o melhor GPS? Teste pelo Jornal da Globo e a PRO TESTE

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Diário de Araxá - Saúde - Minas desenvolve teste rápido para diagnóstico da dengue

Diário de Araxá - Saúde - Minas desenvolve teste rápido para diagnóstico da dengue

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

EPIDEMIA DE DENGUE NO RIO

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

SAIBA COMO SE PREVENIR CONTRA O MOSQUITO DA DENGUE

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

BAYER RETIRA ALDICARB (CHUMBINHO) DO MERCADO


Bayer retira aldicarbe do mercado
24 NOVEMBRO 2011     
MPF arquiva inquérito sobre "chumbinho"
Desde 2007, o Olhar Animal promove a campanha "Chumbinho não!", que com o apoio de internautas, de técnicos e de outras ONGs, conseguiu que fosse apresentado ao Congresso Nacional um projeto de lei proibindo a comercialização de produtos que contivessem a substância aldicarbe (ou aldicarb), em especial do agrotóxico Temik, fabricado pela BayerCropScience. No mesmo ano, a ONG protocolou representação no Ministério Público Federal (MPF), em SP, contra a importação e comercialização destes produtos.
O projeto de lei foi vergonhosamente arquivado, em especial pela ação de seu relator, o deputado federal e agropecuarista Dilceu Speráfico (PP/PR), mais sensível aos interesses do agronegócio do que aos efeitos nefastos do produto sobre os animais e a população.

Recentemente, recebemos correspondência do MPF informando o arquivamento do inquérito civil por conta da Bayer ter anunciado o fim da importação e comercialização do produto. O ofício é assinado pela Procuradora da República, dra. Adriana da Silva Fernandes.

Ótima a notícia de que este produto esteja prestes a não ser mais usado, ele que há décadas provoca a morte de animais humanos e não humanos, e a contaminação do meio ambiente, sob os olhares complacentes das autoridades nas áreas de saúde, agricultura e meio ambiente. Porém, lamentamos profundamente que o MPF cesse sua ação sem apurar os fatos e encaminhar processo pelos danos já causados. E também sendo permissivo em relação à continuidade da comercialização do Temik até o "esgotamento do estoque remanescente do produto", o que ocorrerá apenas até junho de 2012, segundo a própria Bayer.

O aldicarbe é a substância mais letal e mais comumente usada na composição do famigerado chumbinho, sendo algumas vezes seu único ingrediente. O chumbinho, por sua vez, é amplamente usado por criminosos para matar animais por envenenamento, fazendo também vítimas humanas, especialmente crianças, que acabam por ter contato com o poderoso veneno. A morte se dá por parada cardio-respiratória, causando grande sofrimento às vítimas. A banalização do uso do chumbinho ocorre por conta da facilidade para ser ilegalmente adquirido (em casas agropecuárias e até camelôs) e por sua alta letalidade.

O fim da comercialização do aldicarbe é um avanço para que animais deixem de ser exterminados com o uso de venenos poderosos, e resultado de pressões para que os agrotóxicos chamados de "sujos" deixem de ser usados no país.

O Olhar Animal deu sua contribuição com a campanha "Chumbinho Não!". Mas não basta, pois produtos já proibidos, como a estricnina, continuam sendo usados nestes crimes hediondos. Falta especialmente a fiscalização dos órgãos governamentais. No caso do chumbinho, órgãos fiscalizadores da área da Saúde alegam dificuldades para encontrar o produto com os criminosos, mesmo diante da evidente facilidade com que qualquer pessoa os adquire, fato registrado inúmeras vezes pela imprensa, o que mostra a falta de vontade política para enfrentar este grave problema.

O aparato público de fiscalização e repressão só funciona mediante a pressão da sociedade. Cabe à ela denunciar e cobrar providências das vigilâncias sanitárias, da polícia, do Ministério Público e de outros órgãos contra a comercialização destes venenos.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

OS INSETOS ESTÃO CHEGANDO - É BOM SE PREPARAR


É ÉPOCA DE SE PREPARAR PARA A INVASÃO DOS INSETOS ALADOS

Todos os anos é a mesma rotina. Apesar do nosso país não estar situado em uma zona temperada, o inverno se faz presente e a ele segue a primavera, talvez sem todas as cores do hemisfério norte, mas com certeza, ela chega para a natureza e para os organismos em geral.
Os insetos organizados em sociedades, tais como as formigas, os cupins as abelhas, as vespas sociais, todas elas se preparam para esse momento importante, que sinaliza reprodução, renovação da criação. Os hormônios estão a mil, as sociedades de insetos aquecem os seus motores para o grande evento que é a saída dos alados reprodutores para dar inicio a novas colônias a serem espalhadas pelo bioma.
Esse é um momento em que acende a luz vermelha para as fábricas, por que a luz amarela acendeu no inverno. Quem não se preparou para a primavera/verão vai enfrentar dificuldades e grandes problemas agora.
As revoadas não têm hora nem dia para acontecer. Os sintomas são tardes mornas e úmidas, que favorecem as revoadas de cupins, os chamados aleluias, e as formigas saúvas.
O trabalho preventivo para enfrentar essa estação é uma revisão de todas as armadilhas luminosas instaladas, bem como de uma verificação geral de aberturas existentes que possam facilitar a entrada dos insetos alados.
É interessante até fazer um check list dessas tarefas em ordem para não se perder.
1 – verificar o estado das telas das janelas, se estão rasgadas, se precisam ser lavadas ou trocadas.
2 – Verificar se as telas estão bem fixadas, se a moldura está em bom estado ou se necessita de manutenção.
3 – verificar se existem outras frestas na estrutura decorrentes de pequenos reparos, obras, instalação de equipamentos e fechá-las.
4 – com relação às armadilhas luminosas fazer a troca das lâmpadas e aproveitar para uma limpeza geral.
5 – esse é um bom momento para comprar novas armadilhas caso alguma modificação no lay out e estrutura da fábrica tenha sido feita.
6 – Verificar telhados e forros com relação a possíveis aberturas, falhas e necessidade de manutenção.
7 – Verificar molas das portas de acesso às áreas produtivas. Se as molas não funcionam bem as portas não fecham e os insetos tem acesso facilmente às áreas internas,
8 – Verificar os ralos das áreas produtivas e áreas vizinhas. Muitos insetos alados se desenvolvem na matéria orgânica acumulada nos ralos, que devem permanecer bem fechados e higienizados com frequência.
9 – Verificar as portas de acesso às áreas produtivas, se há um espaço maior do que 5 milimetros e vedar.
10 – Reavaliar o programa de controle de pragas com o fornecedor, revisar os procedimentos, calendário de atendimento e rotinas para o período de maior concentração de insetos.

Se essas 10 orientações forem seguidas, será uma garantia de um verão muito mais tranquilo e produtivo.

Lucia Schuller
Bióloga