Páginas

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

PET SHOPS terceiro post e ultimo

(ultimo posto do assunto)

De qualquer forma, é um recurso que precisa ser usado, em grande quantidade para capturar o maior úmero de ratos possível em um espaço curto de tempo. Aí esbarramos em um ponto importante que é o custo. Nem todos os estabelecimentos estão dispostos a pagar por esse custo, que não é baixo, apesar de eficiente. Querem que reduzamos a quantidade oferecida e os resultados acabam sendo pequenos e o recurso é abandonado, caindo novamente na roda viva do raticida que, nesses ambientes com grande oferta de alimento, é absolutamente inócuo.




As armadilhas quebra costas são também um recurso muito inteligente e usadas corretamente, e considerando o tempo que os ratos necessitam para se habituar aos novos obstáculos em seu caminho. O uso de armadilhas quebra costas requer também uma rotina e um trabalho diferenciado, com visitas periódicas ao local em tratamento, e com uma exposição inicial de uma semana para que os animais possam se habituar. As armadilhas precisam ficar iscas e desarmadas para entusiasmar os ratos a consumir a isca sem riscos. Só depois de uma semana é que devem ser armadas e em grande quantidade, cerca de uma unidade a cada dois metros quadrados. Infelizmente caímos novamente nno custo a ser cobrado do cliente, porém esse trabalho é de convencimento técnico e isso vai demandar um conhecimento de causa muito convincente do profissional. .

PET SHOPS - parte 2

continuação do post anterior


Falando de roedores, em áreas onde haja muita disponibilidade de alimentação, talvez essa seja a alternativa mais viável, caminhando em paralelo com os princípios preventivos.

Uma armadilha bastante utilizada tem sido a placa de cola. Ela realmente tem solucionado muitos problemas, porém, temos que admitir que, para capturar ratos do tipo alfa, mais experientes e astutos, bem como para capturar ratos pesados, com peso entre 350 e 550 gramas, e até mesmo mais do que isso. Há necessidade de uma placa de cola mais robusta, que atenda a essas necessidades de controle.

Eu pessoalmente, como profissional, trabalhei muito tempo com uma placa de cola desenvolvida por minha equipe, elaborada com um material mais forte do que as placas convencionais que são feitas a partir das formulações hot melt, que derretem na presença de calor e se mantém moles entre uma faixa de 10 graus e 60 graus centigrados.
Pude observar durante os diversos trabalhos executados que os ratos são capturados em grande escala desta forma, porém há necessidade de um intervalo no uso deste recurso, pois os animais rapidamente se familiarizam como objeto novo e seu risco para a sua própria segurança e passam a evitá-lo.
(continua no proximo post)

PET SHOPS - COMO CONTROLAR AS PRAGAS

PET SHOPS

UM DESAFIO PARA O PROFISSIONAL DE CONTROLE DE PRAGAS

Controlar pragas em áreas de muita movimentação é um desafio a mais para o profissional de controle de pragas. Os pet shops são uma miniatura dos supermercados e que contém todo tipo de alimentação para vários animais e muitos grãos e rações que os ratos adoram. Digo desafio, pois no Brasil a tradição no uso de armadilhas ainda não é muito fortificada. Se um profissional chega ao seu cliente com um monte de armadilhas convencionais, do tipo quebra costas, que são encontradas em várias lojas, esse profissional é mal interpretado e o cliente fica com a impressão de que está sendo enganado, pois usar armadilhas ele também sabe, ou pelo menos acha que sabe.


De fato, usar armadilhas no controle de pragas é uma tarefa difícil e que necessita de um bom preparo do profissional, bem como de uma remuneração adequada, pois demanda mais tempo e mão de obra.
(continua no proximo post)