Páginas

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Pragas Urbanas

terça-feira, 20 de junho de 2017

FEBRE DO NILO NO ESTADO DO PIAUÍ


Piauí notifica dez casos e registra uma morte por Febre do Nilo
A doença é um tipo de virose transmitida aos seres humanos principalmente pela picada de mosquitos comuns.
MARCOS CUNHA
15/06/2017  15h59
    
Pelo menos dez casos suspeitos de Febre do Nilo Ocidental já foram notificados pela Secretaria de Estado do Piauí. A doença é transmitida principalmente pela picada de mosquitos infectados. Até o momento, uma pessoa morreu por conta da doença em Teresina.
Os casos são resultados de exames laboratoriais realizados neste ano, no Instituto Evandro Chagas (IEC). Em todos os exames, verificou-se positividade com pelo menos um outro flavivírus, dentre eles: zika, dengue e vírus da encefalite de Saint Louis (VESL).
Segundo a Sesapi, para que os casos sejam confirmados é necessário realizar exames mais complexos e demorados, e que o Ministério da Saúde já foi comunicado a respeito dos resultados iniciais.
“Todos os casos têm sido acompanhados pela Secretaria de Estado da Saúde, que já adotou as providências pertinentes à Vigilância deste agravo, quais sejam: em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Teresina, realiza a investigação em campo, que envolve identificação e estudo de vetores; elaboração de um plano de ação para enfrentamento à doença; e implantação do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella como unidade de referência estadual para diagnóstico e tratamento da Febre do Nilo Ocidental”, informou através de nota.

  • Foto: Divulgação/Ministério da SaúdeCiclo de transmissão da Febre do Nilo Ocidental
A Febre do Nilo manifesta-se na forma de encefalite, paralisia flácida aguda ou meningite asséptica, podendo levar à morte em 10% dos casos ou deixar sequelas neurológicas em significativa proporção dos sobreviventes.

A doença é um tipo de virose transmitida aos seres humanos principalmente pela picada de mosquitos comuns. O Aedes albopictus também é considerado um vetor potencial. A SESAPI mantém as recomendações de combate aos mosquitos, também responsáveis pelos casos de dengue, Zika e chikungunya.
FONTE: WWW.VIAGORA.COM.BR

CASOS DE LEPTOSPIROSE EM ALAGOAS - NOTA OFICIAL


NOTA INFORMATIVA CASOS DE LEPTOSPIROSE PÓS ENCHENTES_16-06-2017.03
Imprimir esta Notícia
16 DE JUNHO DE 2017

NOTA INFORMATIVA
(CIEVS nº 26/2 – 16 de junho de 2017)
A Secretaria de Estado da Saúde – SESAU por meio desta NOTA INFORMATIVA apresenta as informações disponíveis sobre o registro de casos suspeitos de leptospirose, no pós-enchente, por meio do monitoramento realizado pelo CIEVS/SES/AL, a partir da informação oriunda dos serviços de saúde e da busca ativa realizada pelo Centro em Unidades da Capital.

Sobre os casos Notificados
Até o momento tem-se 49 notificações suspeitas de leptospirose, sendo 8 óbitos.

Sobre os casos Notificados suspeitos, exceto óbitos
Situação dos casos suspeitos de leptospirose em Alagoas: casos notificados (exceto óbitos) 30/05/2017 e 16/06/2017
Município
Casos (excluindo óbitos)
Total
Confirmado
Descartado
Em Investigação
Atalaia
18
18
Capela
1
1
Coruripe
1
1
Maceió

14
14
Marechal Deodoro
3
3
Palmeira dos índios
1
1
Pilar
3
3
TOTAL
41
41
Fonte: CIEVS/SUVISA/SES/AL
Dados da Semana Epidemiológica (SE) 22 atualizados até 16 de junho de 2017 (13h).
Dados sujeitos a alteração.
1.     Dentre os 41 casos suspeitos 27 foram atendidos em ambulatório e posteriormente liberados por não apresentar sinais de alerta, sendo 16 de Atalaia, 3 de Marechal Deodoro, 3 de Maceió, 3 de Pilar,1 de Capela e 1 de Coruripe.
2.     Dos 41 casos, 14 foram hospitalizados:
1.     Quanto ao município: 11 são residentes em Maceió (2 em UTI); 1 em Atalaia (1 em UTI), 1 Coruripe e 1 em Palmeira dos Índios.                                                                                                                                                                                    
2.     Quanto ao local de hospitalização: 4 dos casos suspeitos estão no HEHA; 3 estão no Hosp. VIDA e 3 no HGE.
3.     Dentre os 41 casos suspeitos 13 são do sexo feminino (2 casos em menores de 10 anos, 7 com faixa etária entre 16 e 38 anos e 3 acima de 40 anos) e 28 pacientes são do sexo masculino (4 menores de 10 anos, 18 entre 10 a 38 anos e 6 acima de 40 anos).
Sobre os óbitos suspeitos de leptospirose
Situação dos ÓBITOS notificados de leptospirose em Alagoas 30/05/2017 a 16/06/2017
Município
Óbito
    Total
Confirmado
Descartado
Em Investigação
Atalaia
1
1
Capela
Coruripe
Maceió

5
5
Marechal Deodoro
Messias

1
1
Palmeira dos índios
Pilar
União dos Palmares

1
1
TOTAL


8
8
Fonte: CIEVS/SUVISA/SES/AL
Dados da Semana Epidemiológica (SE)  22 atualizados até 16 de junho de 2017 (13h).
Dados sujeitos a alteração.
§  São 8 óbitos conhecidos, referente ao período de 30/5/2017 a 16/06/2017:
1.     3 foram em pacientes do sexo feminino, com idade de 35, 60 e 91 anos, e 5 do sexo masculino, com 16, 32, 43, 45 e 58 anos.
2.     Os óbitos suspeitos são de pessoas residentes nos municípios de Atalaia (1), União dos Palmares (1), Messias (1) e Maceió (5).